Espero que você esteja bem, com saúde!

Eu estou bem, em casa! Dividindo o tempo com minha esposa e filho, atividade física na medida do possível e muito trabalho, pois, mesmo confinado, criei uma lista praticamente interminável do que fazer nestes tempos de quarentena.

Agora eu deveria estar nos Alpes, mas não me lamento por não estar escalando, e sim porque não poderei desfrutar das inúmeras experiências que tive nos dois últimos anos com queridos amigos europeus e brasileiros, na Itália, Suíça e França.

São as experiências que nos fazem evoluir! Como a que aconteceu ano passado nas montanhas do Vale d’Aosta, norte da Itália, junto com minha querida amiga Maria Rostagno, a primeira pessoa que conheci nos Alpes (em 1990). Com ela e seus amigos, dividi o prazer de desfrutar uma polenta feita no fogão a lenha, com cogumelos recém colhidos no bosque que nos rodeava, queijo feito ali mesmo, debaixo de uma árvore secular, com a alegria despertada pelas histórias que cada gole do vino rosso fazia saltar de nossa memória.

Quem poderia imaginar que após seis meses não poderíamos viver o mesmo momento! Quem poderia imaginar que após tão pouco tempo tamanha felicidade seria substituída pelo assombro de mais de 17 mil mortes, isto apenas na Itália!

O plano para este ano eram duas expedições, a primeira em abril, com o objetivo de finalizar a escalada de todos os 82 picos dos Alpes com mais de Quatro Mil metros. Já escalamos 78, faltam apenas 4, que exigiriam apenas uma semana de tempo bom. Assim sobraria tempo para o início de um novo projeto: a escalada das Faces Norte, as seis maiores e mais difíceis paredes dos Alpes.

A ideia era enfrentar as Faces Norte do Matterhorn e do Eiger em abril, pois são mais seguras quando ainda está bem frio. As outras Faces Norte (Grandes Jorasses, Piz Badile, Cima Grande de Lavaredo e Petit Dru) seriam escaladas em agosto e setembro.

A Audi Brasil, única empresa que apoiou o Quatro Mil dos Alpes desde o início, havia confirmado o patrocínio, e posso dizer que as escaladas seriam feitas com um “time dos sonhos”, já que eu contaria com a companhia de Vinicius Todero e Marcos Costa, dois alpinistas da elite mundial, brasileiros, para nosso orgulho!

“havia confirmado”… “seriam escaladas”… posso muito bem mudar estas expressões para “continua patrocinando” e “serão escaladas”, pois não vamos abandonar nossos sonhos, estaremos juntos nos Alpes assim que possível, talvez ainda este ano, ou mais tardar no próximo.

“O apoio da Audi do Brasil aos novos projetos são atemporais. Estaremos juntos nas próximos desafios, tão logo sejam possíveis”, disse Claudio Rawicz, Diretor de Marketing da Audi Brasil.

“O principal é a nossa saúde e as precauções, fique tranquilo enquanto o nosso compromisso com vocês”, disse Johannes Roscheck, Presidente da Audi Brasil.

Obrigado Audi Brasil, por também não abandonar os nossos sonhos! E que logo possamos voltar juntos para os Alpes, vibrando com a bandeira brasileira nas alturas, servindo de inspiração para que todos também não abandonem os seus sonhos, por mais dificuldades que possamos enfrentar durante os próximos meses.

O futuro está em nossas mãos!

É tempo de prudência, não de pânico. De encarar os fatos, não o medo.

Não esqueça que podemos diminuir as transmissões e salvar vidas!

Faça a sua parte, fique em casa e respeite as decisões das autoridades de saúde. Cuide-se muito!

Somente assim o problema será resolvido para o alívio de todos!

Rogo a Deus que nos permita em breve, aqui no Brasil, na Itália, em todo o mundo, momentos de alegria novamente junto às nossas famílias e amigos.

Que Deus esteja em seu coração! Onde há Luz, há esperança!

Tenho a certeza que vamos comer novamente aquela polenta com a Maria lá no Vale D’Aosta!

Não deixe de ver as escaladas que já fizemos nos Alpes, só clicar no link:
– filme de 2018: https://youtu.be/BgRS8qZNpZo
– filme de 2019: https://youtu.be/SMiDb1_7gIw

Super abraço,

Waldemar Niclevicz